DEVV E DIVV



Percebendo a importância da luz do sol sobre a terra, o homem imaginou que essa luz seria uma emanação protetora de Deus. Da idéia de que existia um único sol, surgiu o monoteísmo, isto é, a crença em um só Deus. Das palavras Devv e Divv, que em sânscrito significam sol e luminoso, originou-se a palavra deus. Daí, em grego, a palavra Zeus; em latim, deo; para os irlandeses, dias; em italiano dio, etc. A parte do tempo em que a terra recebe a luz do sol recebeu o nome dia em oposição ao período de trevas, a noite. O dia teria sido um presente divino, graças à luz solar. Conseguindo produzir o fogo, aumentou a crença humana no deus sol. Graças ao fogo, o homem pôde libertar-se de um dos seus maiores inimigos, que era o frio, assim como passou a cozinhar os seus alimentos. Devendo cada vez mais a vida ao calor, a gratidão do homem para com o sol cresceu ainda mais. Foi assim que nasceu o mito solar, do qual Jesus Cristo é o último rebento. Por uma série de ilações, chegaram igualmente à concepção do significado místico da cruz. Dos raios solares foi criada uma cruz, espargindo raios por todos os lados. Da mesma forma foi a idéia do Espírito Santo, um espírito benfazejo, que irradia a bondade divina. Depois a seqüência mística do sol, o fogo e o vento, dando origem a Salvitri, Agni e Vayu, do mito védico. O rito védico celebra o nascimento de Salvitri, o deus-sol, em 25 de dezembro, no solstício, quando aparecem as refulgentes estrelas. As estrelas trazem a boa nova, a perspectiva de boas colheitas. Daí os sacrifícios e os ritos propiciatórios oferecidos ao deus-sol. Assim os cristãos encontraram o seu Jesus Cristo. A vida dos deuses redentores é a vida do sol. Por isso, todos eles tiveram suas datas de nascimento fixadas em 25 de dezembro: Mitra, Horus e Jesus Cristo. Também é simbólica a ressurreição na primavera, tempo da germinação e das folhas novas. Baseando-se nisto, Aristóteles e Platão admitiram uma certa racionalidade dos que adoravam o sol.






DOWNLOAD: MALO - 1972 -
http://rapidshare.com/files/281241110/malo_-_1972_-_malo.rar

1 Comments:

At 25 de maio de 2007 18:30, Anonymous leandro pinto said...

o conceito de "deus" pouco tem em comum com acordar cedo e observar o sol nascente iluminar e aquecer nossa existência.......

isso é uma racionalização que busca encontrar nas experiencias sensoriais do ser humano uma base para os seus valores e conceitos...

é fruto de uma atitude filosófica herdeira dos empiristas ingleses...

o conceito de "deus" diz respeito a uma experiencia interior, sentimental, incomum, involuntária, não-ordinária, implica um "estado alterado de consciência", não é simplismente olhar pro sol......

o conceito de "deus" não foi elaborado por pessoas vivendo em chiqueiros industriais, por burgueses com merda na cabeça e proletários débeis mentais.....

o cretino "mundo moderno" perdeu completamente o significado desta palavra ancestral que veio do sânscrito (uma língua sagrada) e foi por isso que sabiamente nietzsche disse que "deus morreu", pois ele notou que na sociedade capitalista o valor do que é sagrado havia desaparecido, dando lugar ao que o velho marx chamou de "barbárie tecnológica"....

 

Postar um comentário

<< Home