SOBRE O ESTADO



A fim de poder desenvolver-se em conformidade com a sua natureza, o Estado utiliza em mim as tesouras da cultura, dá-me uma educação e uma formação apropriadas a ele e não a Mim. Ensinando-me, por exemplo, a respeitar as leis, a abster-me de atentar contra a propriedade de Estado (quer dizer, a propriedade privada), a venerar a majestade divina e terrestre, em resumo, ensina-me a ser irrepreensível, sacrificando minha particularidade ao sagrado. (...) É nisso que consiste o gênero educação e cultura que me pode dar o Estado: ele faz de mim um instrumento utilizável, um membro útil da sociedade.

Max Stirner





JUDGMENT NIGHT OST - 1993

3 Comments:

At 20 de março de 2007 15:51, Anonymous glaucia said...

membro útil da sociedade!!!
membor útil da sociedade!!!
membro útil da sociedade!!!

mas o melhor é Mim, c/ maiúscula!!!

 
At 16 de maio de 2007 06:07, Anonymous zé do peixe said...

apesar de ouvir alguma coisa sobre stirner em camus e hakim bey, quem me intigou a pesquisar sobre o cara foi alberto lins caldas... na minha vadiagem existencial, acabei comprando um livrinho pequeno contendo alguns ensaios sobre a obra máxima de stirner - "o único e sua propriedade"......

a questão principal em stirner, não é apenas uma clássica rejeição anarquista ao estado, mas a toda forma de Idéia cristalizada e imobilizada, portanto uma recusa de obediência a qualquer tipo de Dogma.......

o anti-dogmatismo de stirner é tão radical que todos os valores, preconceitos e consensos comuns são rigorosamente contestados e criticados... esse tipo de crítica dos valores é parte do projeto dos chamados "hegelianos de esquerda", mas a originalidade de stirner é ampliar a crítica além da tradicional crítica da religião que outros hegelianos faziam......

stirner é pra mim, ao lado de nietzsche e lautréamount, a voz menos disciplinada e curvada aos poderes dominantes do séc XIX....

suas idéias, a força do seu pensamento, ainda não foi devidamente compreendida, muitos consideram que le faz apenas a apologia do egoísmo, mas essa leitura superficial esconde o verdadeiro sentido de sua filosofia, que não deixa de preconizar a associação e cooperação, mas que é em primeiro lugar, e este é seu grande mérito, uma defesa do indivíduo contra todas as forças de opressão que pretendem adestrá-lo.....

 
At 3 de fevereiro de 2010 04:23, Anonymous Fiume420 said...

Arte: André Netto

 

Postar um comentário

<< Home